A estátua gigante de Murugan, na Malásia - Tem criança na viagem
Buscar
A estátua gigante de Murugan, na Malásia
24/06/2018
Tempo de leitura: 2 minutos.

Imagine uma estátua grande. Mas grande mesmo. Maior do que o Cristo Redentor. E agora imagine essa estátua banhada em ouro. Pois é. Incrível, certo? É a estátua de Lord Murugan, instalada desde 2006 nas Batu Caves, um complexo de templos hindus localizados nas proximidades de Kuala Lumpur, na Malásia. As cavernas estão dentro de uma montanha de pedra.

 

 

 

 

Visitamos o lugar acompanhados de um casal de amigos que vive na Malásia. Não imaginávamos o que encontraríamos, e ficamos impressionados. A estátua de 42 metros de altura foi esculpida por 15 artistas indianos e, para cobri-la, foram usados 300 litros de ouro! É a maior estátua do deus Murugan no mundo.

Ao lado da estátua, para acessar as cavernas e templos, está uma escadaria gigantesca e íngreme. São 272 degraus, que podem dar vertigem para quem tem medo de altura. Além disso, vale dizer, há muitos macacos por ali: eles correm, brigam, pulam, e roubam comida e coisas que achem bonitas – como óculos de sol – dos turistas descuidados. É um cuidado a mais ao subir, ou descer a escadaria. Ninguém quer escorregar de lá, e desabar, ao tentar escapar de um… macaquinho.  

 

 

 

As crianças, claro, acham muito legal e se divertem com os bichinhos. Com quase seis anos, a Sara subiu e desceu bem os degraus, mas é importante ver se seu filho topa encarar uma subida dessas.

Lá em cima, a vista para fora é incrível, claro. Mas é dentro da montanha que a surpresa se esconde. O piso molhado das gotas que caem dos tetos deixa o ar ainda mais úmido. A escuridão e a luz brincam nos espaços escavados no calcário. Em cada buraco, a imagem de uma divindade. E, nos espaços maiores, templos dedicados à oração e às solenidades hindus. É incrível estar lá dentro. São três cavernas grandes. A maior tem cem metros de altura.

 

 

 

 

A entrada nas Batu Caves é grátis, mas há cobrança para quem quiser assistir a um vídeo explicativo. O santuário é um dos mais populares fora da Índia, e há bastante movimento. Assim como em todos os lugares sagrados, as turistas devem cuidar com as roupas que usam para não ter que cobrir-se com saias emprestadas gratuitamente no local.   

 

 

 

Como fomos de carona, não precisamos pegar transporte público. Mas pesquisando é fácil de ir ao santuário: há trens da KTM Komuter de 30 em 30 minutos a partir da estação KL Sentral. A passagem custa cerca de 30 centavos de dólar.

 

O norte da Malásia conta com um dos lugares mais bonitos do país: a ilha de Langkawi. A gente foi e conta como é o passeio aqui neste link. 

 

Já ouviu falar sobre conexão estendida? É um jeito fácil e barato de passar uns dias – ou algumas horas – em um lugar, durante o seu voo, sem pagar nada a mais por isso. Saiba mais neste texto aqui.


Ásia  Religião  Malásia  Kuala Lumpur  Hinduísmo  Hindus 
Todos os comentários
Deixe seu comentário
Seu nome
Email
Website, Facebook, Twitter
Seu comentário
Sobre o blog
Quem somos
Publicidade
Midia Kit
Anuncie aqui.

©Tem criança na viagem 2018. Todos os direitos reservados.