Do Vietnã para a China, de trem - Tem criança na viagem
Buscar
Do Vietnã para a China, de trem
24/05/2018
Tempo de leitura: 2 minutos.

Estação de Gia Lam, em Hanói, no Vietnã. Dali partimos de trem para Nanning, no sul da China, fazendo o roteiro inverso do da maioria dos turistas que viajam por conta para esta região. Compramos as passagens no China Ticket Online (https://www.chinaticketonline.com/), um site que funciona muito bem e é fácil de usar (este site disponibiliza tudo quanto é tipo de passagem. Vale a pena explorar). Compramos a passagem soft sleeper, que dá direito a uma cama melhorzinha. 

 

Está em vietnamita, mas o que precisa é legível: data, hora, vagão e cabine

 

A estação vietnamita é simples e sem muito conforto, mesmo estando numa capital e sendo ponto de partida para uma viagem internacional. Imaginamos que fosse um exemplo de prédio público em um país comunista como o Vietnã.

 

Parece uma estaçãozinha de cidade pequena, né?

 

Mas é isso mesmo. Vai na fé

 

Nada para comer lá dentro. Os banheiros, sem portas e imundos. Nas imediações, apenas pequenos bares e somente alguns poucos salgadinhos ou lanches de aspecto duvidoso para comer.

 

A “avenida” em frente à estação. Nestas horas surge a dúvida: estamos no lugar certo?

 

Simples, sem lugar para refeições, sem inglês… Vamos lá!

 

O trem, simples, velho, com cara puída (porém limpo) viaja devagar. Fomos recebidos por uma horda de mosquitos. O repelente nos salvou. A notícia boa: ficamos apenas os três em uma cabine com dois beliches. Temíamos ter que dividir o pequeno espaço, ocupado ainda por nossas bagagens, com algum desconhecido e de hábitos estranhos.

 

Simples, velho, amarelado, mas limpo – apesar dos mosquitos

 

Os banheiros são coletivos; não há serviço de bordo, mas há água quente disponível – dá para comer um lámen ou tomar um chimarrão… rsrsrsrsrs

São apenas 323 quilômetros entre Hanói, no Vietnã, e Nanning, na China, e intermináveis 11 horas de trajeto. Viaja-se à noite, e o trem para a todo o momento para subidas e descidas de passageiros. Além disso, há os tensos momentos entre sair de um país e entrar em outro. Os avisos para descer até a imigração são batidas secas na porta – se você estiver dormindo profundamente (o que é bem provável, já que estará viajando durante a madrugada…) e não escutar, já era.

A apresentação dos documentos exige pressa, atenção e agilidade: você provavelmente estará dormindo. Precisará acordar, entender o que está acontecendo (já que ninguém fala nem inglês…), juntar toda a bagagem e documentação e ir para a fila certa (não encontramos placas em inglês em uma destas paradas, apenas em mandarim…). Depois, deve-se retornar ao trem rapidamente – não percebemos conferência de passageiros – antes que você perca o “bonde”.

Cerca de duas horas depois, nova parada – desta vez para ingressar na China. Aí sim o bicho pega: caras fechadas, armas em punho, revista de bagagem. Mas sobrevivemos. Dica: NEM PENSE em fazer foto, nem na entrada no Vietnã, nem na China.

Resumindo: a viagem é uma baita experiência. Não foi maravilhosa, mas não dá para dizer que foi ruim. As camas velhas e o cansaço deram conta do recado, então conseguimos dormir.

Estranha mesmo foi a chegada em Nanning. Mas isso fica para outro post…

 

 

Nanning nos rendeu várias histórias. Uma delas está aqui neste texto!


China  Nanning  Vietnã  Hanói  Trem  Fronteira 
Todos os comentários
Ariane A R Andrade Pizzol
Por favor. Estamos morando na China e quwrendo ir para o Vietnã no feriado de Ourubro aqui e estamos perdidos em relação ao Visto. Só encontramos a opção via aérea. Vocês podem.nos dar uma luz. Grata Ariane e Wilson Pizzol
Josiane Rotta
Estamos enviando email a vocês!
25 fotos para definir Hanói, a capital do Vietnã - Tem criança na viagem
[…] a viagem entre Vietnã e China de trem. Aqui falamos um pouco sobre a […]
Deixe seu comentário
Seu nome
Email
Website, Facebook, Twitter
Seu comentário
Sobre o blog
Quem somos
Publicidade
Midia Kit
Anuncie aqui.

©Tem criança na viagem 2019. Todos os direitos reservados.