De Victoria a Banff, no Canadá, com crianças - Tem criança na viagem
Buscar
De Victoria a Banff, no Canadá, com crianças
04/03/2018
Tempo de leitura: 10 minutos.
Os mineiros do site Viagem e Intercâmbio em Família contam, nesta semana, a viagem que fizeram pela região de Banff, no Canadá. Entre paisagens lindíssimas e “caças” a ursos, muita diversão, experiência e boas histórias! 
 
  

Primeira Parte

Antes de nos mudarmos para o Canadá analisamos quais passeios poderiam ser feitos durante os sete meses naquele país maravilhoso. Quando lemos sobre Banff caímos de amores pela cidade e, principalmente, pelos lagos  azul turquesa da região. 
Seria uma grande aventura percorrer 940 km  – saindo de Victoria, capital de British Columbia-  por uma das estradas mais cênicas do Canadá, a Trans Canada Highway, até chegar a Banff, em Alberta.

Havia duas opções de caminho para Banff: passando por Kamloops ou por Kelowna. Como amamos visitar vinícolas, adivinha? Optamos por ficar 3 dias em Kelowna, no vale do Okanagan, a região vitivinífera da costa oeste do Canadá. Rota traçada, hotéis reservados e carro alugado, lá fomos nós!

 

NOSSA VIAGEM:

Morando em Victoria, só se chega a Vancouver de ferryboat ou pelo ar – vôo comercial ou de seaplane,  pequenos hidroaviões que pousam direto na água – uma vez que a cidade fica em Vancouver Island. Alugamos um carro em Victoria e fomos até Swartz Bay,  porto a 50 min  de Victoria de onde partem os ferries para Vancouver e para as demais ilhas da Região. 

Essa é uma opção mais cara, pois paga-se uma taxa pelo carro ( $57 CAD) além do valor dos passageiros ($17 CAD) mas, achamos mais fácil do que ter que entrar em Vancouver para alugar o carro lá.

 

IMG_0587
Ferry para Vancouver

 

Após 1h35min de travessia- com paisagens lindas por todo caminho – chegamos em Tsawwassen, Vancouver. Seguimos viagem em direção a Kelowna ( 390 km). As estradas canadenses são tranquilas, bem sinalizadas e com uma paisagem deslumbrante.

A tarde começava a cair quando entramos na cidade. E como ela é linda! Acho que se algum dia tivéssemos oportunidade de mudar para o Canadá escolheria Kelowna. Era final de agosto, já nos últimos respiros de verão, e a cidade fervilhava em festivais de música, arte, esportes aquáticos e muitas outras atividades de encher os olhos. Foi ali na Downtown Marina que assistimos o primeiro pôr do sol na cidade.

 

IMG-0306
Fim de tarde no centro de Kelowna

 

No dia seguinte, fomos visitar as vinícolas, que foi o que realmente nos levou até aqui. Tarefa difícil escolher qual delas visitar: são muitas e cada uma com seu encanto e atrativo. Como não havia nenhum vinho em especial que queríamos degustar e nem muito tempo na cidade, resolvemos conhecer as duas mais famosas e que ficavam mais próximas. Além disso, estávamos dirigindo, o que limitou um pouco as degustações.

Nossa primeira parada foi na Mission Hill Winery, uma das maiores e mais famosas da região. A estrutura da vinícola é impressionante: uma sala de degustação enorme e linda, jardim com esculturas, parreirais e restaurante com vista para o maravilhoso rio Okanagan. 

Como ainda era bem cedo, não fizemos nenhuma degustação – só visitamos a vinícola. No dia da visita estavam preparando o palco para o show que aconteceria naquela noite: Gipsy Kings!!! Mas, para nossa decepção, os ingressos já estavam esgotados…. Mas a visita valeu!

 

6aefa633-fec3-418c-88a2-7cff2f116b5a

 

96a26757-768f-4f5b-b0cf-7e104c2a49ec

 

49004750-cb9c-41b0-977e-117dd7b0cff1

 

De lá passamos na Volcanic Hill, que fica no caminho da Mission Hill e é bem pequenina, charmosinha. Mas como estávamos com pouco tempo, apenas demos uma olhadinha na loja da vinícola.

 

IMG-0334.JPG

 

Já no meio da manhã, deixamos o carro no hotel e pegamos um ônibus local (nr1 e depois nr16) para chegarmos até a Summerhill Pyramid Winery onde, enfim, faríamos degustação.  Fizemos a degustação de cinco vinhos e compramos duas garrafas do nosso vinho preferido; depois, fomos fazer um piquenique no gramado da vinícola.

Levamos nossa wine bag bem abastecida de pães, queijos, frios e suco para as crianças e aproveitamos nosso fim de tarde com vista para o rio Okanagan.

 

4beaaf89-0b1f-4b30-87e3-1d5d0eb03357

 

Snapseed

 

E assim foram nossos dois deliciosos dias em Kelowna. Gostaríamos de ficar mais, porém, no dia seguinte, mais bons quilômetros ainda nos aguardavam até nosso tão esperado destino final: Banff!!! 

 

Parte 2

 

Banff está a 480 km de Kelowna e, apesar da estrada ser muito boa, prepare-se para gastar muito mais tempo  do que o estimado: as paisagens são lindas e dá vontade de parar a cada quilômetro para tirar mais uma foto. Como o nosso tempo era limitado tive que me segurar e fui tirando fotos com o carro em movimento mesmo.

Além das paisagens outro fator que nos chamou muito a atenção foi o cuidado com a vida selvagem ao londo das estradas que cortam os parques nacionais. Por todo caminho fomos observando que as estradas são separadas das matas por telas que dificultam/impedem que os animais atravessem a rodovia e corram o risco de serem atropelados.

Para garantir a liberdade de ir e vir dos bichinhos, foram construídos pequenos viadutos para que eles atravessem com segurança. E acredita que já monitoraram o comportamento dos animais e eles realmente se utilizam dessas “passarelas de animais” para irem para o lado oposto da pista? Mais educados que muitos humanos por aí!

 

Snapseed (6)
Veja que espetáculo a natureza ao longo das estradas! Você também não pararia o tempo todo?
cropped-img_3035.jpg
Estradas com excelente manutenção e belíssimas paisagens

 

IMG_3033
“Passarelas para animais”: o respeito à natureza é levado a sério no Canadá.

 

PARQUES NACIONAIS NO CANADÁ:

 

IMG_4228
Entrada do Yoho National Park: beleza do começo ao fim

 

O Canadá possui mais de 40 parques nacionais, além dos inúmeros parques provinciais. São reservas ambientais e históricas protegidas por lei e mantidas pelo governo canadense através do órgão Parks Canada.

Para entrar nos parques você deve adquirir os ticketes que podem ser comprados na entrada de cada um deles ou antecipadamente pela internet no site do Parks Canada. Caso opte pela compra online lembre-se de que deverá considerar o tempo de entrega pelo correio: em torno de 8 semanas. Nós compramos diretamente na entrada do parque (há algumas cabines, tipo pedágio) e foi super simples. É só colocar o recibo no para-brisas do carro, pois assim a fiscalização tem como se certificar que você pagou o passe de entrada.

 

NOSSOS DIAS EM BANFF E REGIÃo

 

Ao planejar uma viagem, sempre pesquisamos hotéis que cabem no nosso orçamento e procuramos no Google Maps sua localização de modo que, dentro do possível, ele fique em um ponto estratégico de acordo com o foco da viagem.

Queríamos ficar em Banff mesmo, porém como fizemos a reserva no final de julho para viajarmos no final de agosto (alta temporada canadense) as opções já estavam limitadíssimas, tanto em disponibilidade quanto em preço.

Tivemos que nos hospedar no  Inn of the Rockies, na rodovia entre Banff e Canmore, o que, para quem vai explorar a região, incluindo Canmore, é muito bom. Para nós, que ficaríamos apenas três dias, ficou um pouco fora de mão.

Depois de fazer os passeios durante o dia pelos lagos e trilhas, tínhamos que pegar o carro novamente para a ir à cidade se quiséssemos jantar em  um restaurante, tomar um sorvete ou curtir a cidade.

Mas o hotel era ótimo, confortável e quando chegamos estávamos bem cansados. Só circulamos um pouco pelo centro de Banff e  por Canmore para conhecer as cidades e fomos ao supermercado para abastecer a despensa para os próximos dias.

No dia seguinte, pela manhã,  fomos fazer um dos passeios mais esperados pelas crianças: subir a Sulphur Mountain na Banff Gondola. Lá você terá opção de comprar vários combos de ingresso. Nós adquirimos o passeio de gôndola (para nós, brasileiros, mais conhecido como teleférico ou bondinho) e o passeio de barco ao Minewanka Lake.

Para os mais animados, há possibilidade de ir até o alto da montanha fazendo trilha, o que te ajudará a economizar bons dólares canadenses e perder alguns quilinhos. Caso seja essa sua opção vá ciente de que poderá encontrar vários animais pelo caminho, inclusive ursos. Então, procure ir em grupo, conversando mais alto ou fazendo um pouco de barulho para espantá-los (eles têm medo dos humanos e normalmente só atacam caso se  sintam ameaçados). Leve também spray anti-urso para te ajudar num eventual ataque.  Nossa esperança era ver algum urso de dentro da gôndola, mas não conseguimos vê-los nem  na subida nem na descida.

 

Banff Gondola
Alguém viu um urso por aí?

Lá no alto, além da bela vista da região, você poderá visitar o Interpretive Centre, que consiste em uma exposição interativa da história e cultura de Banff e região que as crianças amaram. Há também o restaurante com belíssima vista panorâmica.

 

Sulphur mountain
Está vendo aquele morrinho atrás de nós? Ainda temos que chegar até lá!

Depois de apreciar tudo isso,  há uma pequena trilha e escadas (é possível vê-las atrás de nós, na foto acima) para chegar mais alto ainda- naquele “morrinho” também na foto acima-  e ter essa linda vista da área.

 

Sulphur Mountain
Vista de tirar o fôlego!

Dali fomos até o Lake Minewanka para o passeio de barco, que dura em torno de duas horas. Durante o passeio o guia explica várias coisas interessantes sobre a fauna e a flora local, o motivo da cor azul do lago e também conta lendas e estórias da região. É um passeio muito lindo que vale à pena.

 

CANADA CAMERA 062

 

Minewanka Lake - www.viagemeintercambioemfamilia.wordpress.com

 

IMG_4219
Vá com tempo para contemplar e, caso não resista, entre na água. Mas já vamos avisando: não conseguirá ficar dois minutos! Mesmo no verão água é geladíssima!!!!!

 

No fim da tarde fomos passear pela cidade para conhecê-la melhor: é muito linda e cheia de detalhes que a deixam bem charmosinha e com aquela vontade de esticar a viagem. É fácil explorar a cidade. Existem vários estacionamentos públicos onde você pode deixar seu carro e perder-se pelas ruas e diversas lojinhas. O movimento maior  se concentra na principal avenida da cidade, a Banff Avenue. Opções não faltarão para você terminar seu dia agradavelmente: de sorvetes (vá á Cows, sorvete estupendo!) e doces diversos, de fish and chips a fondue de carnes exóticas.

 

Snapseed (3)

 

IMG_4272
O centrinho de Banff é puro charme: não dá vontade de ir embora! Lojas de souvenires, restaurantes, sorveterias e lojas de doces: pura tentação!

O terceiro dia estava reservado para conhecermos os famosos Moraine Lake e Lake Louise. Fomos primeiro ao Moraine Lake, pois o estacionamento lá tem lotação limitada e, caso chegue mais tarde terá que ficar aguardando por um bom tempo na fila até liberarem vaga para você estacionar. Chegamos por volta de 10h e já estava bem lotado!

O lugar é maravilhoso e gastamos umas duas horas por lá explorando cada ângulo daquele azul que você nas fotos e pensa: com certeza foi editado. Sim, editado pelo dedo da Mãe Natureza!

 

IMG-8898
Moraine Lake: um azul inexplicável!

 

Em seguida, fomos para o Lake Louise, que é um dos lagos mais famosos e fotografados do mundo.  Lá você poderá fazer um passeio de canoa ou uma trilha: há diversas delas, todas muito bem sinalizadas.

De frente para o lago está o suntuoso Fairmont Chateau Lake Louise, resort de luxo. O gramado ao redor do lago fica cheio de famílias fazendo piquenique – hábito muito comum entre os canadenses. Depois de muitas fotos fizemos uma trilha ascendente de aproximadamente dois quilômetros de onde tivemos essa vista espetacular:

 

IMG_4293
Lake Louise pontilhado por canoas e o hotel Fairmont Chateau

No quarto dia acordamos um pouco mais tarde porque, além de cansados, decidimos que iríamos apenas passear pela cidade e tentaríamos achar os urso a qualquer custo!

Pegamos a Bow Valley Parkway, uma estrada que corta a região e é uma  alternativa para ir para Jasper, e fomos andando bem devagar à caça de ursos. Depois de alguns poucos minutos uma ursa e dois filhotinhos atravessaram a rodovia. Que emoção! Ficamos ali filmando e observando-os comerem flores e frutinhas silvestres (vídeo no nosso Instagram @viagemeintercambioemfamilia). Foi tudo tão rápido que nem acreditamos e esquecemos das fotos fizemos só o filme rsrsr. Missão cumprida! Passeio fechado com chave de ouro!

A viagem de volta foi bastante puxada porque fizemos direto de Banff ao porto de  Tsawassen, em Vancouver, parando apenas para o abastecer o carro e comer.  Foram dez horas de viagem debaixo de um pouco de chuva, mas com paisagens lindas. Chegando em Tsawassen esperamos mais ou menos uma hora para pegarmos o próximo ferry para Victoria e duas horas depois estávamos em casa. Foi uma longa e cansativa viagem mas que nos deixou lembranças para vida toda.

 

DICAS:

1- Caso esteja planejando sua viagem durante o verão canadense (junho a setembro) reserve hotéis e carro com bastante antecedência. Lá tudo se esgota muito rápido por ser época de férias escolares lá.

2- Locamos nosso carro na National Car Rental e não tivemos nenhum problema com o carro durante essa semana. Apesar de termos Permissão Internacional Para Dirigir, eles pedem apenas o cartão de crédito e passaporte.

3- Durante essa viagem optamos por hotéis com cozinha. Além de ficar bem mais em conta, preferimos cozinhar alguns dias durante a viagem porque  nem sempre os pratos servidos nos restaurante agradam as crianças. Em Kelowna ficamos no Siesta Suítes, estilo motel americano, com cama confortável, cozinha no mesmo ambiente, utensílios necessários para realizarmos as refeições e banheiro minúsculo (ponto negativo). Mas em compensação, tem uma piscina boa e uma jacuzzi para 8 pessoas, para você relaxar no fim do dia.

4- Achamos 3 noites muito pouco para aproveitar todas as possibilidades da cidade. É muito gostoso passear na Marina, assistir aos shows, passear de lanchas e canoa e visitar mais vinícolas.

5- Crianças são bem vindas na maioria das vinícolas. Mesmo assim, é bom consultar o site da vinícola escolhida, caso vá com crianças.

6- Não se envergonhe de levar lanches e comidinhas para as vinícolas e parques: isso não é mal visto pelos canadenses e faz parte da cultura deles. Além de ser uma economia e tanto é bem divertido um piquenique no meio do passeio.

7- Para conhecer um pouco mais sobre a cidade e atividades, acesse o  site da cidade de Kelowna. 

 

Quer participar da seção Convidados? Mande sua história para a gente! temcriancanaviagem@gmail.com

Neste texto, conheça mais um destino na América do Norte!


Natureza  Canadá  América do Norte  Vancouver  Banff  Ursos 
Todos os comentários
Deixe seu comentário
Seu nome
Email
Website, Facebook, Twitter
Seu comentário
Sobre o blog
Quem somos
Publicidade
Midia Kit
Anuncie aqui.

©Tem criança na viagem 2018. Todos os direitos reservados.