Macau: lembrança portuguesa em solo chinês - Tem criança na viagem
Buscar
Macau: lembrança portuguesa em solo chinês
20/12/2017
Tempo de leitura: 3 minutos.

O Augusto Lenhardt e a Bianca Wermann são gaúchos e estudam em Macau, na China, há alguns meses. E neste texto dão dicas de passeios nesta região que pertenceu a Portugal e hoje mistura as culturas ocidental e oriental. 

 

Macau foi colônia portuguesa por um longo período, precisamente até 1999, quando a cidade foi devolvida à China como Região Administrativa Especial da República da China. Por isso, a cidade possui leis próprias e autonomia em relação aos assuntos políticos internos.

Atualmente, a região atrai muitos turistas, inclusive da China, por conta do encontro de duas culturas tão diferentes em um mesmo local.  Desde a gastronomia até a arquitetura da cidade é possível encontrar traços orientais e ocidentais.

Apesar de ser muito famosa pelos cassinos, separamos 5 dicas do que fazer em Macau que foram muito importantes para explorarmos um pouco mais da cultura e história local.

 

1 – Ruínas de São Paulo:

 

Só sobrou a fachada – mas, mesmo assim, linda!

 

Localizada no centro histórico de Macau, sem dúvidas é o local mais procurado pelos turistas, e também muito semelhante às ruínas encontradas em São Miguel das Missões, no Brasil.

O monumento é tão importante para a história de Macau que está na Lista do Patrimônio Mundial da Humanidade, da UNESCO.

Trata-se de fragmentos da antiga igreja da Madre de Deus, construção dos jesuítas, durante o século XVI, com arquitetura barroca de influência portuguesa. Foi destruída em 1835, por um grande incêndio, preservando-se apenas a sua fachada de pedras.

Ao lado, encontramos o Templo de Na Tcha, construído em 1888 na tentativa de livrar a cidade de uma severa epidemia de gripe. O templo é dedicado à divindade Na Tcha que, segundo a lenda, foi enviada à terra pelo Imperador de Jade para destruir os demônios.

Para os amantes da história, o Museu de Macau também fica ao lado das ruínas, junto da Fortaleza do Monte, utilizada como defesa dos jesuítas. O melhor de tudo é que nos feriados chineses os ingressos para o museu são gratuitos.  

 

2 – Templo de A-má

 

Entendeu?

 

A-má, a deusa protetora dos pescadores e marinheiros, é muito conhecida entre os chineses da região muito antes do estabelecimento da cidade de Macau por ter feito profecias que protegeram comerciantes e pescadores de naufrágios. Por isso, moradores ergueram um templo em homenagem à deusa próximo ao Porto Interior.

O templo possui vários pavilhões de adoração a diversos deuses, sendo o principal o de A-má.

Você também encontra uma estátua de adoração à deusa no Templo de A-má, localizado em Coloane. Apesar de ser mais distante e exigir uma longa caminhada, a vista lá de cima é surpreendente e a energia mais ainda.

 

Estátua de A-má

 

Templos por toda a parte

3 – Coloane

 

Pegando uma cor do outro lado do mundo

 

Já que na dica anterior falamos de Coloane, resolvemos incluir essa pequena vila em nossas dicas.

Para entender melhor, Macau é dividida em ilhas que atualmente são interligadas por pontes e estradas, sendo Macau a região central; Taipa, mais residencial e com fábricas; Cotai, que é a zona aterrada para os cassinos; e, enfim, Coloane, região litorânea onde encontramos a simplicidade nos mercados e o luxo das casas e condomínios residenciais.

Além de encontrar o melhor Pastel de Nata, ou Pastel de Belém, também encontramos a praia de Hac-Sá  (siiiiim, você leu certo, em Macau tem praia!).

A praia possui um parque arborizado com churrasqueiras ao ar livre para as famílias e amigos aproveitarem o final de semana. É própria para banho, contudo a areia preta e águas vivas acabam afastando os banhistas.

 

Não é nenhuma Tailândia – mas tá valendo rsrsrs

 

4- Pandas gigantes

 

Fofo e preguiçoso

 

Ainda em Coloane encontramos o Parque de Seac Pai Van, com jardim, animais raros, panda vermelho e pandas gigantes.

A grande atração do parque é a família de quatro pandas gigantes, oferecidos à Macau pelo Governo da República Popular da China no 15º Aniversário do retorno de Macau à China.

Como estes pandas dormem muitas horas durante o dia, é preciso acompanhar a rotina do parque para visitá-los durante os horários de refeição. Caso contrário dificilmente estarão acordados durante sua visita.

O parque funciona de terças a domingos, das 10h até as 17, com intervalo entre as 13h e 14h.  Os ingressos podem ser adquiridos por MOP 10,00 (moeda local) na bilheteria do Pavilhão do Panda Gigante.

 

5 – Cotai Street

 

A Las Vegas de Macau

 

Não podíamos encerrar as dicas sem falar da famosa Cotai Street, inspirada na Las Vegas Strip. É a rua onde localizam-se a maioria dos cassinos e hotéis de Macau.

O local rende belas fotos, pois além das construções e iluminações belíssimas, ainda conta com uma réplica de Veneza no Venetian, uma réplica de menor porte da Torre Eiffel, no Parisian, entre outras atrações.

Também é onde a vida noturna da cidade se concentra, com cinemas, restaurantes, teatros e também clubes noturnos.

 

Tem até Torre Eiffel…

 

Que tal saber mais sobre outro destino neste incrível país que é a China? Sabia que lá tem até Disney? Aqui neste texto falamos um pouco sobre o parque!


Ásia  China  Macau  Experiência 
Todos os comentários
Deixe seu comentário
Seu nome
Email
Website, Facebook, Twitter
Seu comentário
Sobre o blog
Quem somos
Publicidade
Midia Kit
Anuncie aqui.

©Tem criança na viagem 2018. Todos os direitos reservados.