Uma aventura no deserto do Atacama - Tem criança na viagem
Buscar
Uma aventura no deserto do Atacama
08/11/2017
Tempo de leitura: 6 minutos.

Moradores de São Paulo há 12 anos e pais do Heitor (8) e da Olívia (3), os gaúchos André Corrêa e Renata Lacerda encararam um desafio em outubro de 2017: foram com as crianças para o deserto do Atacama, no Chile, um dos lugares mais secos do mundo. E contam para a gente como foi:

 

Pausa para a foto – em uma paisagem desértica

 

Conhecer o deserto do Atacama sempre foi um desejo nosso e quando surgiu a oportunidade (leia-se passagens aéreas com preços sensatos para Santiago, capital do Chile), não pensamos em outra coisa: estender a viagem para o Atacama.  Daí começaram nossas dúvidas: Como levar duas crianças pequenas, 8 e 3 anos, para o deserto? Existem atrações para os pequenos? É seguro? É cansativo?

Com muitas dúvidas e poucas respostas, encontramos uma agência que é especializada em turismo de aventura na América do Sul. A partir daí compreendemos que para o Atacama existem praticamente dois tipos de turismo:  “O mochileiro”, tipo peregrino, e o “travel top”, tipo turismo de luxo em resorts e hotéis bacanérrimos  com “all inclusive”.  Contrariando o nosso bolso, optamos pelo segunda modalidade – afinal, viajar com crianças para o deserto do Atacama, o mais árido do mundo, um local quase inóspito, merecia ser uma experiência especial.

 

É seco e quente: pense bem antes de levar a criançada

 

Saímos de São Paulo num sábado pela manhã em voo da Latam direto para Santiago. Quatro horas e meia depois descemos no aeroporto internacional Comodoro Arturo Merino Benítez, e pegamos um outro voo local (também operado pela Latam) por mais duas horas montanha acima até a cidade de Calama. Lá uma van / transfer (anteriormente contratada) nos aguardava para nos levar até a cidade de Santo Antônio do Atacama – o vilarejo com mais infraestrutura e mais perto do deserto propriamente dito. Esse transfer, que dura cerca de uma hora e meia,  já percorre as grandes estradas solitárias pelo meio do deserto, onde se pode ver lugares belíssimos como o Valle de La Luna e o Valle de La Muerte.

 

Paisagens inesquecíveis

 

Chegamos no nosso hotel  – Alto Atacama Desert Lodge & Spa – por voltas das 19h, já no início da noite. Sim, viajamos quase o dia todo e as crianças continuavam animadas, apesar do cansaço. Hora de jantar, descansar e dormir, pois no dia seguinte a maratona seria grande. A saber: este hotel fica dentro de um vale rodeado por montanhas rochosas e tem um mirante lindo. O quarto é amplo como uma cabana que acomoda, além do casal, mais duas camas de solteiro ou berço e tem uma pequena varanda privativa. À nossa espera estavam cantil térmico para cada um, lenços umedecidos e pomadas para proteger os lábios.

No dia seguinte nossa aventura foi caminhar pelo Salar de Tara, passeando por lagunas de sal com suas cores saturadas e uma espécie de “blur” no horizonte, efeito da evaporação e da insolação no ar rarefeito. O percurso termina no Lago dos Flamingos.

O guia leva binóculos para que possamos apreciar os animais de perto, mas sugiro que você leve o seu e não esqueça da água, chapéu com abas na parte traseira, muita pomada labial e protetor solar – o local é muito árido.

 

 

À tarde, também de van e depois por um longo trecho a pé, caminhamos pelo Valle de La Luna (Vale da Lua), repleto de imensos cânions que transmitem a sensação de que você está em outro planeta ou na Lua, por causa da suas formações rochosas brancas com formatos interessantes, cavernas e grutas.  

 

Óculos escuros e muita água: receita para curtir bem a viagem

 

Um grande número de turistas e guias transitam pelo local, meditando, fotografando, apreciando montanhas e se acomodando para ver o espetáculo do pôr do sol. 

 

Atacama é o deserto mais seco do mundo

 

Durante o dia chegou a fazer 24ºC graus, e, à noite, 4ºC . Além dos itens já mencionados, não esqueça de levar um gorro, cachecol e uma boa jaqueta. O vento nas montanhas do Atacama é lacerante. Opte por levar botas leves para os pequenos, já que os tênis enchem de areia com o vento do deserto. E esqueça qualquer possibilidade de roupas fofas ou com frufrus: elas voltam tão sujas depois de um dia no deserto que, acredite, você pensa seriamente em jogá-las no lixo.

 

Lhamas e alpacas são os animais mais adaptados à região

 

A noite é hora de ver as estrelas. Quase todos os hotéis têm observatórios e passeios guiados para admirar as constelações. Afinal, o Atacama é considerado um dos melhores lugares do planeta para observação do céu, devido a suas condições favoráveis, como os mais de 2.400 metros de altitude, sem chuva, baixa umidade e pouca luminosidade artificial. O que atrapalha mesmo é o vento forte que, no nosso caso, impediu uma observação mais longa. Mesmo assim os pequenos viram a Via Láctea e outras constelações a olho nu. Para finalizar a noite, o hotel promove uma degustação de vinhos chilenos e comidas típicas (tudo all inclusive!).

 

Na manhã seguinte partimos de van rumo às montanhas do Vale do Arco-Íris, onde fica um sítio arqueológico com pinturas rupestres. O longo percurso de quase uma hora pelo deserto é exuberante, e pelo caminho cruzamos por rebanhos de lhamas, vicunhas, alpacas, guanacos e burros, todos selvagens (as crianças adoraram!). Essas pinturas rupestres são bem concentradas em pedras rochosas onde é possível escalar, mesmo com crianças pequenas (naquele esquema, um segura o outro faz a ponte e vamos indo montanha a cima). Após as explicações históricas sobre o local, seguimos para um passeio mais geológico por meio de vales e montanhas frutos de erosões milenares. As crianças foram muito bem com água, barrinha de cereal e muito protetor solar. A saber: em todas as paradas nos pontos turísticos há uma espécie de quiosque com banheiros, água potável, assentos e um local para informações. Os guias também carregam nas vans água e barra de cereal para os passageiros.

 

Viagem ocorreu em outubro de 2017

 

Durante toda a viagem ao Atacama vimos muitas pessoas – inclusive crianças a partir dos 10 anos – fazendo grandes percursos de bicicleta que são disponibilizadas pelos hotéis. Nossa aventura não chegou a tanto: preferimos caminhar mesmo com uma pequena de 3 anos; assim as crianças puderam coletar pedras, tocar em plantas e até sentir a areia quente do deserto.

 

A verdade é que mesmo sendo um lugar lindo, seguro e muito amistoso, existem passeios que não são permitidos para crianças – como os Gêiseres de El Tatio, local em que jatos de água fervendo saltam de dentro da terra criando um caminho incrível, ou as Lagunas Altiplânicas, que ficam a cerca de 4.500 metros de altitude, onde a alta pressão atmosférica no corpo pode ocasionar mau estar, dor de cabeça e vômitos. Mas acredite, mesmo com essas restrições você pode aproveitar muito a viagem com os pequenos. Nós adoramos! Depois do Atacama partimos para mais 5 dias em Santiago.

 

Repondo as energias

 

Informações importantes no Atacama:

  • Esqueça o carrinho de bebê. É mais ou menos como querer usá-lo na areia fofa da praia. Mais atrapalha que ajuda.
  • Não existem trocadores nos banheiros dos quiosques de informações nos pontos turísticos. Imagino eu porque praticamente ninguém viaja para esses locais com crianças que ainda usam fraldas. Mas os banheiros, em geral, são limpos.
  • Em São Pedro do Atacama não existem farmácias. Por isso qualquer medicamento que se compre com receita médica não será encontrado (o local mais próximo é a cidade de Calama, a 100 quilômetros). Leve um kit com pomadas para queimadura, assadura, curativos e remédios para dor de cabeça e estômago.
  • Leve roupas para todos os climas em qualquer estação do ano. Parece estranho, mas a variação térmica no deserto mais alto do mundo pode ser imensa.
  • O deserto do Atacama é um destino caro. É só imaginar que tudo, exceto o cactos, vem de fora. Então leve tudo o que for precisar: cachecol, boné, luvas, protetores, pilhas, baterias…
  • Existem mais de 35 tipos de passeios diferentes. Planeje bem sua viagem antes de ir. Agências e hotéis costumam dar boas dicas para seu perfil de viajante. Contrate o serviços de guias: faz toda diferença.
  • A melhor época do ano para uma viagem ao deserto é primavera ou outono, quando as temperaturas são mais amenas. O período de chuvas é entre março e abril e mesmo assim são raros.

 

Road trip em família ao Deserto do Atacama

No início de 2017 uma turma de amigos foi do Rio Grande do Sul até o Atacama de carro – levando junto o Nicolas, de 11 anos. E eles contaram para o site como foi a experiência!

 

 


Viagem com crianças  Chile  all inclusive  Deserto  Atacama  Altitude  Salar 
Todos os comentários
Thiago Spaulussi Gonçalves
As dicas de vocês foram fundamentais para meu "salvar" da roubada de ir para o Atacama em Dezembro com minha bebê que estará com 01 ano e 09 meses. Contatei agências para tirar algumas dúvidas, etc., e ninguém deu informações tão claras sobre NÃO levar bebê. Teria acabado com meu passeio e iria judiar dela, além de arrumar uma encrenca do tamanho do mundo com minha esposa.rs Obrigado
Emilio Rotta
Bah, que legal este teu retorno! Muito obrigado. E fiquem à vontade para contar para a gente suas histórias de viagem!
Rebeca
Muito bom ler este post, pois queremos ir em maio de 2019 mas não acho quase nada de informações sobre viagens com crianças. Minha filha estará com 2 anos e 8 meses.. Obrigada pelas dicas.. Só uma dúvida.. lá em cima vc diz que foi de calama para santo Antônio.. é isso mesmo? Ou vc quis dizer San Pedro? :)
Rebeca
Muito bom ler este post, pois queremos ir em maio de 2019 mas não acho quase nada de informações sobre viagens com crianças. Minha filha estará com 2 anos e 8 meses.. Obrigada pelas dicas.. Só uma dúvida.. lá em cima vc diz que foi de calama para santo Antônio.. é isso mesmo? Ou vc quis dizer San Pedro? :)
Rebeca
Muito bom ler este post, pois queremos ir em maio de 2019 mas não acho quase nada de informações sobre viagens com crianças. Minha filha estará com 2 anos e 8 meses.. Obrigada pelas dicas.. Só uma dúvida.. lá em cima vc diz que foi de calama para santo Antônio.. é isso mesmo? Ou vc quis dizer San Pedro? :)
Deixe seu comentário
Seu nome
Email
Website, Facebook, Twitter
Seu comentário
Sobre o blog
Quem somos
Publicidade
Midia Kit
Anuncie aqui.

©Tem criança na viagem 2018. Todos os direitos reservados.