Dicas para quem tem problemas respiratórios viajar tranquilo - Tem criança na viagem
Buscar
Dicas para quem tem problemas respiratórios viajar tranquilo
05/10/2017
Tempo de leitura: 3 minutos.

Problemas respiratórios em crianças podem atrapalhar uma viagem, certo? Mas você sabia que alguns cuidados simples podem ajudar a diminuir os transtornos e fazer os pequenos curtirem um monte o passeio – além de tranquilizar os pais?

Para falar sobre isso convidamos a médica pneumologista Iloni Riedner Barghouti, que trabalha em Lajeado.

 

 

1 – Como se programar para uma viagem e prevenir-se de problemas respiratórios?

Iloni – É importante o planejamento da viagem, analisar para onde vai, que meio de transporte será utilizado, que mudanças climáticas irá enfrentar, se ocorrerão variações bruscas na temperatura – pois o ar frio piora a mucosa respiratória do nariz até os brônquios -, saber a umidade relativa do ar do local, o nível de poluição ambiental que poderá se expor, a altitude… Também é importante saber se a viagem terá fuso horário, pois isso mexe com o ritmo circadiano, dificultando o sono reparador e a recuperação do organismo. É importante o planejamento preventivo e talvez um tratamento preventivo para uma viagem mais segura e tranquila.

 

2 – Quais são as doenças respiratórias mais comuns em crianças?

Iloni – Das doenças que acometem crianças, as relacionadas ao sistema respiratório são as mais frequentes. O sistema respiratório é muito sensível; através da respiração pode-se estar em contato com todo tipo de microorganismos causadores de diversas doenças. As mais comuns são as infecções virais, e estas podem ser facilitadoras, para instalar-se uma infecção bacteriana. As infecções agudas são as mais comuns, podendo causar resfriados, gripes, amigdalites, faringites, sinusites, otites, pneumonias, bronquiolites, de graus variados de intensidade e gravidade. Também as doenças alérgicas são bastante comuns em crianças, como rinite, bronquite e asma.

 

 

3 – Mas são situações que tendem a permanecer mesmo na idade adulta?

Iloni – Muitos iniciam com doenças alérgicas quando crianças e podem permanecer com esta condição por toda a vida, dependendo de vários fatores – como genéticos e ambientais. No entanto, com o passar do tempo, o sistema imunológico torna-se mais forte. Também com o reforço de vacinas, a sensibilidade aos problemas respiratórios diminui.

 

 

4 – Além das vacinas e dos remédios, há como prevenir estas crises ou doenças?

Iloni – A prática de exercícios, cuidados com a alimentação e limpeza dos ambientes onde a criança passa mais tempo ajudam – por exemplo, bichinhos de pelúcia, carpetes e outros objetos ajudam a acumular poeira e ácaros, então é melhor evitá-los.

 

 

5 – Que tipos de exercícios são benéficos para as crianças com estes quadros?

Iloni – Não considero que a criança deva fazer algum tipo de exercício físico específico. Elas devem brincar de preferência ao ar livre, expor-se ao sol em horários adequados e fazer um esporte que seja prazeroso para ela – como andar de bicicleta, jogar futebol, patinar, nadar… Mas deve manter-se ativa, por isso lhe traz condicionamento físico, fortalecimento ósseo e muscular e reforça sua imunidade.   

 

Crianças devem brincar e praticar os esportes que mais gostam

 

6 – Muitas vezes vivemos, ou viajamos, para lugares onde a umidade do ar é muito baixa. Quais são os cuidados para os dias mais secos?

Iloni – O nível de umidade do ar aceitável é acima de 30%. Em situações extremas, as primeiras medidas são procurar uma alimentação saudável (saladas e frutas como abacaxi, melão e melancia) e hidratar-se bastante com água, evitando refrigerantes. Quem tem problemas respiratórios como rinite e sinusite pode usar soro fisiológico para hidratar as narinas.

 

 

7 – Qual a recomendação para bagagem de mão para quem tem problemas respiratórios?

Iloni – A bagagem deve conter a receita de seu médico, orientando o uso de medicamentos caso houver crises, e os próprios medicamentos, como antialérgicos, corticoide oral ou tópico, bombinhas broncodilatadoras para crise de asma, e até mesmo um antibiótico, se for para um local com acesso médico não facilitado – desde que bem orientado sobre seu uso.

 

 

8 – Dentro do avião a quantidade de oxigênio é menor do que o usual, e muita gente fica com falta de ar. O que fazer?

Iloni – Viagens de avião podem piorar o quadro de doenças respiratórias. Quem está com falta de ar ou enfrenta uma doença infecciosa aguda não deve viajar de avião para não piorar o quadro e para evitar a disseminação da doença. No avião, o ar contém menos oxigênio e a sensação é equivalente à de viajar para um lugar com uma altitude acima de 2 mil metros. Além disso, a falta de umidade da cabine resseca as vias respiratórias, dificultando a respiração.

 

9 – A senhora teria mais alguma orientação em relação a este tema?

Iloni – Estar com os filh os em viagens, a proximidade nestes momentos, o afeto, o amor, o cuidado, são com certeza muito saudáveis. E tornam as crianças mais fortes emocionalmente e até imunologicamente. Por isso recomendo que pais tenham estes momentos de convívio com seus filhos. São momentos que ficam registrados na memória afetiva deles para toda a vida.

 

Viaje e passe bons momentos com seus filhos

 

A doutora Iloni atende no consultório situado em Lajeado, na Avenida Benjamin Constant, 940, sala 102 e 202.

Telefones: (51) 3748-5350 e (51) 3714-3810.

 

Quer ler mais sobre cuidados com a saúde em viagens?

Aqui o dentista Augusto Carpena fala um pouco sobre os cuidados básicos com a saúde bucal.

Neste post, o pediatra Sergio Luiz Kniphoff fala sobre cuidados gerais em viagens. 

 


Viagem  Saúde  Problemas respiratórios  Asma  Tosse 
Todos os comentários
Deixe seu comentário
Seu nome
Email
Website, Facebook, Twitter
Seu comentário
Sobre o blog
Quem somos
Publicidade
Midia Kit
Anuncie aqui.

©Tem criança na viagem 2018. Todos os direitos reservados.