Na Tailândia, passeio a Maya Bay com uma criança de 5 anos
Buscar
Na Tailândia, passeio a Maya Bay com uma criança de 5 anos
15/03/2017
Tempo de leitura: 6 minutos.

Para conhecer Maya Bay, famoso cenário natural onde foi gravado o filme A Praia (em 2000, com Leonardo DiCaprio), é preciso escolher uma região-base na Tailândia. Depois de ler muitas dicas de outros blogueiros, nos organizamos para ficar na província de Phuket, que a maioria indica ser mais bonita e ter mais infraestrutura do que Krabi.

Mas esta é uma escolha bem pessoal. Estamos, mais precisamente, na principal praia de Phuket: Patong Beach – que será assunto de outro post.

Aqui, em cada quadra encontramos duas ou mais bancas de agências de turismo vendendo inúmeras opções de visitas às ilhas das redondezas. Pelas pesquisas, também descobrimos que os valores em geral não variam muito, então não precisa parar em todas as bancas para fazer levantamento de preços.

 

Praia mais famosa da Tailândia serviu de cenário para filme com Leonardo DiCaprio. À esquerda, os longtails

 

Fizemos o passeio de um dia: a van da agência pegou a gente no hotel às 7h30min e nos deixou de volta às 18h. Pagamos 1.800 bahts por adulto e 800 bahts para a Sara, que tem 5 anos.

Convertendo para reais, para nós três deu o equivalente a mais ou menos R$ 395 – incluindo um lanche antes da partida (com biscoitos, café, chá, leite, suco, água e balinhas, além de frutas) e também o almoço.

 

Em Phuket, píer de onde saímos com destino às ilhas

 

Na saída, ao passar as instruções para o dia, os guias avisam sobre a presença de ouriços-do-mar em alguns pontos e aproveitam para vender calçados que são disponibilizadas no local. Já prevenidos, levamos a Sara com uma sandália firme nos pés – e ela não foi para as áreas de mergulho – então foi tudo tranquilo.

E for falar em guias, vale lembrar que só falam inglês. É do jeito deles, e nem sempre dá para entender muito bem. O negócio é seguir o fluxo e gravar o rosto do seu guia e de alguns turistas do seu grupo! Hehehe…

 

Lancha com colete salva-vidas para adultos e crianças

 

Como em qualquer viagem de barco – especialmente com criança – sempre é bom dar um remedinho para evitar o enjoo. Teve marmanjo que não aguentou o balanço da lancha, precisou ir correndo para o lixo vomitar e não conseguiu curtir tudo o que esse passeio deslumbrante tem a oferecer.

Na lancha (fomos com a empresa Andavaree) foram disponibilizados coletes salva-vidas (inclusive infantis), snorkels, água em copinhos lacrados e sucos de garrafinha durante todo o dia. Tudo incluído no valor do pacote do passeio.

Estávamos em umas 30 pessoas e, além da Sara, tinha mais dois meninos com quase a mesma idade. Assim como ela, também aproveitaram para tirar uns cochilos durante os deslocamentos, e deu tudo certo!

Nesse passeio de um dia, a primeira parada foi na Ilha dos Macacos (Monkey Island). Mas são tantos barcos parando por ali, no mesmo horário, que fica complicado admirar a paisagem… 

 

Muvuca na primeira parada do passeio

 

Na sequência, mais uma paradinha no mar de Andaman, em Shark Point. Dessa vez para um mergulho com snorkel para ver os peixinhos. Água cristalina, calma e com temperatura super agradável. Depois andamos mais um pouco e, dentro barco mesmo, pudemos contemplar a Viking Cave – uma gruta com pinturas rupestres.

 

O almoço na praia

A parada seguinte – primeira descida “no solo” – foi para o almoço. Já sabíamos que seriam servidos frango e peixe. Como os pratos na Tailândia costumam ser bem apimentados, levamos algumas coisinhas na bolsa térmica para a Sara comer.

Chegando lá, encontramos um buffet livre muito gostoso, organizado e limpo: tinha arroz branco, espaguete com molho de tomate (sem pimenta), legumes ao molho (com pimenta), saladas (tomate-cereja, pepino, repolho), carne de frango em cubinhos (um pouco temperada) e filé de peixe frito. De sobremesa, melancia. Também havia água gelada, café e chá à vontade. Enfim, tranquilo para o almoço infantil.

Pelo que nos pareceu, a maior parte das agências de turismo para ali para o almoço. O local tem ainda sanitários e duchas.

 

Buffet livre tinha opções que agradam ao paladar infantil

 

Menos de uma hora num paraíso chamado Maya Bay

Na parte da tarde a expectativa vai aumentando, pois os barcos começam navegar em meio a ilhas formadas por paredões de pedras, com um mar de água azul e absurdamente cristalina. Ao passar por um destes tantos paredões, a guia avisa que estamos chegando a Maya Bay.

 

Como não se encantar com uma paisagem dessas?

 

O lugar é realmente deslumbrante. Pena que a parada é curta: apenas 45 minutos, pois é grande o movimento de barcos e desembarque de turistas. Esse pedacinho do paraíso não tem nenhuma infraestrutura – nada de banheiro, restaurante etc.

É somente um ponto de parada para tomar banho de mar, curtir o visual inesquecível e tirar algumas fotos. Prepare-se: serão muitas tentativas se você não quiser ter um estrangeiro entrando de furão no seu clique! Hehehe…

 

Uhuuu!!! Garantimos a minha foto!

 

Com apenas estes minutos à disposição uma criança para cuidar, na tentativa de conseguir boas fotos e ainda curtir um pouquinho o mar, fica difícil conhecer todo o trecho de areia existente na praia e ainda subir no viewpoint, a 186 metros de altura. Ele foi criado para escapar de um potencial tsunami mas acabou virando ponto turístico pela vista.

As águas deste lugar maravilhoso escondem ao menos um perigo: as caravelas-do-mar (portuguese man-of-war), uma espécie de animal marinho que pode provocar queimaduras de até terceiro grau. Embora placas avisem sobre a sua presença na água, não vimos nada no período em que estivemos por lá.

 

Bye, bye, Maya Bay: foi um prazer te conhecer…

 

Infraestrutura à beira-mar em Raya Island

Ainda encantados com a paisagem, mas precisando acompanhar o grupo, partimos para a ilha Raya Island. Lá ficamos quase uma hora e meia.

Há barracas e venda de comida e bebida, além de banheiros e aluguel de cadeiras – pagamos 200 bahts (o equivalente a R$ 18) por três cadeiras à sombra. Aqui, mais uma vez, mergulho com snorkel para admirar a fauna marinha.

 

Em Raya Island, barracas com venda de comidas e bebidas e banheiros

 

Nessa praia, na descida do barco, no mar e na areia há muitas pedras, conchas e corais quebrados. Então, a sandália firme foi realmente importante para não machucar os pés.

 

Mais uma praia sensacional – mas cuidado para não machucar os pés

 

O dia terminou com o retorno ao píer de Phuket, com mais uns 40 minutos de trajeto sobre o mar. Como já contamos, a maior parte das empresas disponibiliza o transporte de volta até o hotel.

Vale a pena? Claro, mesmo com a quantidade de turistas. Não há como não se apaixonar pelas paisagens, pela água cristalina cercada de paredões rochosos e pelas praias de areia branquinha.

 

Por que lancha e não longtail para o passeio com criança?

Quem viaja por esta região, se não for mergulhador ou praticante de algum esporte náutico, vai acabar optando por um destes dois principais tipos de transporte: as lanchas ou os longtails, aqueles charmosos barcos de madeira que lembram gôndolas.

Optamos pelo primeiro pelo fato de estarmos com a Sara: segurança, conforto, rapidez. Claro que cada escolha têm ônus e bônus.

A lancha é rápida e só com ela é possível fazer um roteiro como o que fizemos – passando pelas principais ilhas ao longo do dia. Em geral as empresas que contam com este transporte são maiores, o que garante mais segurança para os clientes, que são buscados e entregues de volta no hotel. As lanchas oferecem lanches, água e banheiro, e, em geral o almoço está incluso no pacote.

Entretanto, as paradas são mais curtas para que todo o trajeto seja cumprido no tempo disponível. E aí vem a questão de praias como Maya Bay, onde gostaríamos de ter ficado mais tempo.

O longtail, por sua vez, é bem mais lento e não oferece tanta segurança. Carrega no máximo oito pessoas por vez, não conta com lanches e outros diferenciais. Também lemos, em alguns sites, que os coletes salva-vidas existem, mas não estão à vista; então, se você quiser, deve pedir.

Bom, você pode escolher o jeito que melhor se encaixa com a sua viagem! Mas, indiferente do meio de transporte pelo qual optar, uma coisa é certa: este será um passeio para guardar na memória para o resto da vida!


Praia  Tailândia  Ásia  Barco  Koh Phi Phi  Phuket 
Todos os comentários
Bangkok: uma capital, milhares de experiências - Tem criança na viagem
[…] Na Tailândia também fomos para a maravilhosa Maya Bay. Clique aqui para saber mais! […]
Langkawi, paraíso malaio pertinho da Tailândia - Tem criança na viagem
[…] for à Malásia, vá também à Tailândia. Aqui tem um texto sobre nosso passeio a Maya […]
Deixe seu comentário
Seu nome
Email
Website, Facebook, Twitter
Seu comentário
Sobre o blog
Quem somos
Publicidade
Midia Kit
Anuncie aqui.

©Tem criança na viagem 2019. Todos os direitos reservados.