Arraial d'Ajuda: no litoral sul da Bahia e longe da muvuca - Tem criança na viagem
Buscar
Arraial d'Ajuda: no litoral sul da Bahia e longe da muvuca
05/01/2017
Tempo de leitura: 5 minutos.

Ideal para quem quer ir à Bahia com criança, Arraial d’Ajuda surpreende por suas lindas praias e pelo sossego. Com jeitinho de vilarejo, esse distrito de Porto Seguro é muito charmoso.

Foi pra lá nossa primeira viagem com a Sara, quando ela tinha sete meses e meio de idade. Ainda “testando” até que ponto ia a parceria da pequena, resolvemos nos acomodar num hotel à beira-mar e com meia pensão. Pegamos a baixa temporada (após o Carnaval, em 2012), quando a diária estava beeeem mais em conta.

Descanso à beira-mar no Hotel Saint Tropez, na Praia do Parracho, em Arraial d´Ajuda

 

Ficamos no Saint Tropez Praia Hotel, um hotel com certificado de Excelência pelo TripAdvisor localizado na Praia do Parracho. Em geral, pesquisamos os hotéis no Booking, observamos as avaliações de quem já se hospedou e reservamos algum que tenha pelo menos nota 8.

Tranquilidade: Sara curtindo as “férias” no hotel

 

Chegada com travessia de balsa

 

Quem desembarca no aeroporto de Porto de Seguro vai percorrer cerca de cinco quilômetros até Arraial d’Ajuda. O único jeito de chegar no local é pela travessia de balsa. A boa noticia é que ela funciona 24 horas por dia e leva dez minutos para cruzar o Rio Bunharém. Pedestres pagam no sentido Porto Seguro a Arraial; a volta não é cobrada. Durante o dia parte uma a cada meia hora; na madrugada as partidas são mais espaçadas, de hora em hora.

Se você estiver na balsa com criança pequena, não esqueça de proteger o seu bebê. O vento pode incomodar os ouvidinhos dos pequenos. De resto, é curtir o passeio e se preparar para os dias de praia.

Balsa parte a cada meia hora durante o dia e travessia leva dez minutos

 

O hotel que ficamos está a cinco minutos de carro do centrinho do distrito. Pegávamos o transporte disponibilizado pelo hotel ou chamávamos um táxi. Com sorte, você faz amizade com o motoras e, de quebra, ainda ganha um guia informal do lugar. Nesta viagem aqui, conhecemos um paulista que tinha ido morar em Arraial depois de se apaixonar por uma nativa. O amor pela companheira terminou, mas pela terra baiana, não. Ficou, comprou um “cadinho de terra”, começou a plantar e virou taxista.

 

No canguru: jeitinho prático e confortável de passear

 

Não visitamos tudo por lá, mas colocamos a Sara no canguru e conhecemos muitas coisas. Há alguns programas imperdíveis e lugares de visita obrigatória. Aqui listamos alguns deles:

O centrinho

O centro histórico é tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). Fica numa região alta, de onde se tem uma bela vista da praia.

Ponto turístico nos fundos da igreja, em Arraial: o vento carrega os bons fluidos

 

Lá está a Igreja Matriz de Nossa Senhora da Ajuda, que foi construída em 1551. Nos fundos dela, um mirante descortina a Estrada da Balsa e o encontro do Rio Buranhém com o mar.

Igreja de 1551 se sobressai na paisagem de Arraial

 

No caminho para a igreja, o comércio de souvenirs é feito em casinhas simples, coloridas e grudadas umas nas outras. Pesquise e pechinche.

Casinhas coloridas e venda de artesanato

 

Lojinhas, música e comida

 

Um dos destaques no centro é “Broadway”. Sim, tem esse nome mesmo! É uma rua estreitinha, cheia de gente e de coisas legais. Se a criança é pequena e gosta de caminhar, atenção: é fácil perder-se ali, em meio aos vendedores e aos turistas.

Broadway: versão baiana para a rua mais famosa de Hollywood
 

As praias de Arraial

Arraial tem várias praias excelentes para banho: Araçaípe, Pescadores, Mucugê (a mais famosa), Parracho (onde ficamos), Pitinga (a praia das falésias e talvez a mais bonita destas…) e Taípe.

A primeira, localizada a três quilômetros do centrinho de Arraial, é marcada por recifes de corais, o que deixa a água calma. Na maré baixa fica repleta de piscinas naturais.

Ao lado de Araçaípe está a praia dos Pescadores – cheia de barquinhos e frequentada por moradores do local.

A praia do Mucugê é a que conta com melhor infraestrutura turística – tendo, inclusive, um parque aquático. O mar é tranquilo, com água limpa e quentinha.

A Parracho tem um dos melhores banhos de mar daquela região, não importando a maré. É ponto de encontro da juventude e de esportistas náuticos.

Outra praia de água morna e transparente – mas com ondas em parte de sua extensão – é Pitinga. Tem falésias e recifes – que, na maré baixa, levam à formação de piscinas naturais. É praia com boa infraestrutura turística.

Taípe é a praia das falésias, com mar transparente e forte. É uma praia com bastante mata e guarda, em sua parte central, a “Lagoa Azul”. O acesso de alguns lugares é mais complicado: do centrinho de Arraial até lá, a pé, o visitante pode levar até duas horas atravessando trilhas. Leve lanche e água.

 

Na vizinha Trancoso

 

Neste outro distrito do litoral baiano fica a praia do Espelho – para lá partem excursões de Porto Seguro, Arraial d´Ajuda e arredores. Muita, mas muita gente mesmo, reclama do acesso – feito por uma estrada com quase 20 quilômetros de chão batido, esburacada. Também reclamam dos valores cobrados pelos (poucos) quiosques. Mas o paraíso tem seu preço, e uma “farofada” pode salvar o seu bolso. Temos que admitir: nos apaixonamos pelo lugar!

Espelho: praia linda, limpa e tranquila

 

É também em Trancoso que está localizado o famoso “Quadrado de Trancoso”, um campo cercado de casinhas que servem de hotéis e restaurantes mais chiques. Dividem o espaço com a igreja de São João Batista – de 1586 – dominando a paisagem. É um lugar muito bacana para curtir o entardecer. Ali pertinho há várias outras praias – cada uma com uma característica própria – mais isolada, ou com mais jovens, ou mais turistas. O negócio é se informar. De carro, está a uma hora e meia de Porto Seguro e uns 40 minutos de Arraial.

 

Quadrado conta com restaurantes e pequenos e charmosos hotéis
 

Porto Seguro, na Costa do Descobrimento

 

A ida a Arraial pede um passeio a Porto Seguro, principal cidade da Costa do Descobrimento.

Lá é o berço do Brasil: em 22 de abril de 1500 a esquadra de Pedro Álvares Cabral teria avistado um monte naquela região – o Monte Pascal. Em busca de um lugar seguro para atracar, 13 navios pararam na enseada da Baía Cabrália – lugar perto dali que é conhecido hoje por Santa Cruz de Cabrália.

Um city tour inclui uma passagem pela cidade histórica – com visita aos marcos, igreja, museu, casas e comércios com arquitetura colonial típica.

Cidade histórica: bela e bem preservada

 

Um dos pontos altos do passeio é o Memorial do Descobrimento, instalado em um espaço com 20 mil metros quadrados e 600 metros de área construída. Lá você vai encontrar uma réplica da Nau Capitânia, a embarcação que trouxe Pedro Álvares Cabral e sua tripulação ao Brasil. O passeio mais completinho também vai passar por Coroa Vermelha – uma área onde se encontra uma reserva indígena Pataxó com venda de artesanato.

Réplica da Nau Capitânia é uma das principais atrações turísticas da região

 

E aí, lembrou das aulas de história no Ensino Fundamental? Já pensou que bacana fazer esse passeio se o seu filho já tiver estudado este conteúdo?

 

Quer mais dicas de passeios no Nordeste? Aqui temos textos de três convidados que dão muitas dicas:

 
 

Praia  Viagem com crianças  Arraial d´Ajuda  Bahia 
Todos os comentários
Deixe seu comentário
Seu nome
Email
Website, Facebook, Twitter
Seu comentário
Sobre o blog
Quem somos
Publicidade
Midia Kit
Anuncie aqui.

©Tem criança na viagem 2018. Todos os direitos reservados.